Loco Abreu: Sobrenome Lucidez

Fico espantado com tamanha inteligência desse jogador, que mesmo sem ser craque se mostra mais craque que qualquer um, tanto por sua inteligência tática e técnica quanto por sua lucidez e ponderância fora das quatro linhas. E para comprovar as minhas palavras (sem clubismo) quero que vocês leiem e reflitam sobre a entrevista dele:

No 4-2-3-1, Loco pretende ser técnico do Uruguai na Copa de 2030

– Quais os técnicos em que você se espelha?

Hugo de León, o Simeone – esses vocês brasileiros lembram bem, era chato pra caralho, dava porrada pra caralho -, Juan Manuel Lillo, Manuel Pellegrini e o Mestre Tabárez. Eu me identifico com o estilo deles e temos um relacionamento bom até hoje. Quando trabalhei com eles, pedia uma cópia de todas as anotações ao final da temporada. Assim, posso estudar e ter tudo preparado para quando virar treinador.

– E quando é a data exata (para ser técnico da seleção uruguaia)?

Com a seleção é em 2030, quando o Uruguai vai ser o anfitrião da Copa junto com a Argentina. Com 52 anos, terei experiência para fazer um bom trabalho.

– Que tipo de técnico você seria?

Um técnico muito bem preparado, atualizado. Eu montaria o time com as características táticas do jogador. Meu ideal é jogar 4-2-3-1, com dois cabeças-de-área que saem para o jogo, três meias-atacantes e uma referência. A referência se movimenta, o zagueiro vai só acompanhando. Uma hora, o zagueiro esquece os outros e fica só na referência. Aí, aparecem os meias-atacantes para aproveitar os buracos. E gosto de fazer o jogador pensar durante o treino. Treinador que fala muito é porque não faz nada na semana. Ah, e eu tiraria a concentração.

Por quê (tiraria a concentração)?

É uma mentira enorme, uma desculpa que o treinador tem para ficar bem com o dirigente. Na Europa, isso já acabou. Se o time joga em casa, aparece no almoço e vai para o jogo. Só concentra quando joga fora, claro. Você dá toda a responsabilidade para o profissional. Ele tem que se alimentar bem, se cuidar, saber quando tomar chope e quando tomar leite. Na concentração, o jogador não sabe o que fazer, parece um milionário: só deita e come, deita e come, sai para o jogo… uma nhaca fodida. Em casa, tem vida normal. E não precisa alguém falando “vamos lá, vamos lá”. A concentração só serviria para preparar para o dia seguinte, mas ninguém faz direito. Tem videogame, celular, notebook, cartas. Aliás, jogar carta por dinheiro, entre os companheiros, atrapalha a cabeça. Se o cara perde, chega no campoputo e pensando em recuperar o dinheiro que perdeu. Fora que fica quatro horas sentado na cadeira, as costas ficam mortas.

– Você já viu casos em que essas atividades na concentração fizeram um jogador ficar mal com o outro?

Aqui não, mas em outro clube, que prefiro não fizer, sim. Jogavam pôquer por muito dinheiro. Os mais velhos, malandros, pegavam os juvenis que já ganhavam bem – mas não jogavam pôquer direito – para tirar dinheiro dos moleques. E fumavam, tinha álcool na mesa. Chegava meio-dia para almoçar com o olho inchado porque ficou jogando até às 4h da manhã. Uma cabeça sozinha, em casa, fica tranquila. Agora, sete ou oito cabeças juntas, no mesmo lugar… fodeu, meu irmão! A concentração vira tudo, menos concentração.

– O Marcos, do Palmeiras, já disse que o computador está matando o futebol. Antes, os jogadores ficavam conversando. Hoje, fica cada um no seu computador e ninguém mais se fala.

Você entra em um quarto e parece sala de controle da Nasa. Tem videogame, computador, quatro celulares, rádio. Estão três no quarto, um de frente para o outro, e nem se falam. Cada um no seu laptop. Não tem mais resenha. Você não sabe se o companheiro está casado e tem filho, se tem problema na vida, alguma dificuldade. Esse tipo de papo faz você ter relacionamento melhor com os companheiros, você saber a característica dele, se dá para xingar ou fazer carinho para ele crescer. Não é só no Brasil, é em um monte de time. Se um dia eu deixar de jogar bola, vai ser por causa da concentração, não pelo futebol.

Tirem suas próprias conclusões depois dessa entrevista.

Saudações Alvinegras!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: